DEBORAH COLKER – CÃO SEM PLUMAS

16/09/2022   -   Sexta-feira às 20:00 h   -   Dança   -   100 min.   -   10 anos
Ribeirão Preto   -   Theatro Pedro II.   -   Rua Álvares Cabral 370, Centro
INFORMAÇÕES
SINOPSE
FOTOS
VISUALIZAR
MAPA

Setor - Plateia - Térreo

Tipo Preço Tx Admin Quantidade: Subtotal:
Meia R$ 90,00 R$ 16,50
Inteira R$ 180,00 R$ 33,00
Total:
0 ingresso(s)
R$ 0,00

Setor - Frisas - Térreo

Tipo Preço Tx Admin Quantidade: Subtotal:
Meia. R$ 90,00 R$ 16,50
Inteira. R$ 180,00 R$ 33,00
Total:
0 ingresso(s)
R$ 0,00

Setor - Balcão Nobre 1º Andar

Tipo Preço Tx Admin Quantidade: Subtotal:
Meia.. R$ 60,00 R$ 11,00
Inteira.. R$ 120,00 R$ 22,00
Total:
0 ingresso(s)
R$ 0,00

Setor - Balcão Simples 2º Andar

Tipo Preço Tx Admin Quantidade: Subtotal:
Meia... R$ 25,00 R$ 4,50
Inteira... R$ 50,00 R$ 9,00
Total:
0 ingresso(s)
R$ 0,00

 Li e aceito os Termos de uso


Descrição

“A realização e produção do evento é de inteira responsabilidade da empresa produtora/realizadora, sendo a MegaBilheteria.com apenas intermediadora da venda dos ingressos!”

INGRESSO ONLINE: APRESENTE NA TELA DO CELULAR, A VALIDAÇÃO SERÁ FEITA VIA "QR CODE", NÃO REPASSE SEU "QR CODE" A NINGUÉM, É DE SUA RESPONSABILIDADE O USO E  PRESERVAÇÃO DO MESMO.

**PROIBIDA ENTRADA APÓS O INÍCIO DO ESPETÁCULO**
**RESPEITE A CLASSIFICAÇÃO DO EVENTO**


**TIPOS DE INGRESSOS**
MEIA: Professores (e funcionários do quadro escolar), Estudantes, Pessoas acima de 60 anos, Portadores de Deficiência e seu acompanhante (1).
 


SINOPSE:

Deborah Colker faz em Cão Sem Plumas, baseado no poema homônimo de João Cabral de Melo Neto (1920-1999), seu primeiro espetáculo de temática explicitamente brasileira.

Publicado em 1950, o poema acompanha o percurso do rio Capibaribe, que corta boa parte do estado de Pernambuco. Mostra a pobreza da população ribeirinha, o descaso das elites, a vida no mangue, de “força invencível e anônima”. A imagem do “cão sem plumas” serve para o rio e para as pessoas que vivem no seu entorno.

“O espetáculo é sobre coisas inconcebíveis, que não deveriam ser permitidas. É contra a ignorância  humana. Destruir a natureza, as crianças, o que é cheio de vida”, diz Deborah.

A dança se mistura com o cinema. Cenas de um filme realizado por Deborah e pelo pernambucano Cláudio Assis – diretor de longas-metragens como Amarelo Manga, Febre do Rato e Big Jato – são projetadas no fundo do palco e dialogam com os corpos dos 14 bailarinos.

 

Fotos

Usamos cookies para que sua experiência seja melhor. Ao continuar navegando, você está ciente de nossos Termos de Uso